Aprender Linguagem: a importância dos gestos

14 de novembro de 2016 | Comente!

No início da vida como falantes, os gestos são uma ferramenta fundamental de comunicação dos bebês. Saiba mais sobre o papel do gesticular no desenvolvimento da linguagem.

aprenderlingaugem2

As primeiras palavras que as crianças dizem e aprendem entre os 12 e os 18 meses têm uma forma parecida: mã-mã (mamãe), mi-mi (dormir), pê-pê (chupeta).

Além de serem semelhantes entre si, uma mesma palavra pode ser dita de vários jeitos diferentes. Por exemplo, chupeta pode ser pronunciada como “peta”, “pepê”, “pê”, “pepeta”, e ainda de outras formas. As crianças aprendem as primeiras palavras como se tratasse de uma construção a partir de lacunas a serem preenchidas, e o resultado pode ser um tanto confuso para os pais, que muitas vezes têm dificuldade de distinguir nos sons parecidos as diferentes palavras.

Por conta disso, é comum ouvir mães e pais de crianças pequenas falarem frases como “Que sorte poder contar com os gestos que meu bebê faz, senão não o entenderíamos.”.
Algumas pessoas dizem que não devemos estimular os gestos, como se esses inibissem a fala da criança. Estudos comprovam, porém, que os gestos não são obstáculos: ao contrário, acompanham e potencializam o desenvolvimento da linguagem. Os gestos precedem a linguagem verbal e logo se apresentam no vocabulário, combinados com as palavras.

Diversas pesquisas têm proposto situações de intervenção em que as os pais e ou mesmo outros cuidadores, além de falar com seus bebês, gesticulam. Os resultados mostram que as crianças aumentam seu vocabulário não só por meio da produção de linguagem, mas também pela maior atenção que dão aos gestos.

Ou seja, é necessário, sim, que os pais interpretem os gestos comunicativos dos bebês. E mais, é importante que os adultos façam gestos enquanto falam com os pequenos.

aprender linguagem
Quanto mais os pais e outros cuidadores se esforçam para realizar essa interpretação, mais passam a entender o que o bebê diz. O bebê realiza gestos para mostrar, sinalizar e pedir; a troca de olhar entre adulto e bebê e o desvio de foco em direção a um objeto, por exemplo, contribuem para a compreensão do que se quer comunicar. Efetivamente, adulto e bebê começam a conversar! Mesmo que ele ainda use poucas palavras, está aprendendo sobre como elas são usadas.

Continue acompanhando nossos posts da série Aprender Linguagem para mergulhar no universo do desenvolvimento da linguagem na primeira infância!

 

Outros posts que podem interessar:

Aprender Linguagem – Como se comunicar com a criança que ainda não sabe falar?

Aprender Linguagem – Como as interações com o bebê contribuem para o desenvolvimento da linguagem?

Brincar e aprender linguagem – por que valorizamos tanto isso no Toda Criança Pode Aprender?

Série: “O Mundo Secreto dos Bebês – Aprendendo a Falar”

A linguagem nos constitui

Conversar com as crianças desde que nascem pode fazer muita diferença!

Compartilhe!

Participe da conversa!