“Olhos nos olhos, quero ver o que você diz…”

13 de maio de 2015 | Comente!

Um pai olha bem dentro dos olhos de sua filha recém nascida e conversa com ela. Esta poderia ser uma cena emocionante de trazer lágrimas aos olhos. Mas, para além dessa cena que comove, é possível uma imersão em outros aspectos…

Uma criança ao vir ao mundo mergulha em um universo a ser apropriado. Tudo está para ser observado, compreendido, sentido, analisado…

O vídeo de um pai conversando com sua filha tão pequenina pode ser um bom exemplo de como ajudamos as crianças a interagir com esse universo.

Olhos nos olhos…

Sons que trazem uma musicalidade…

Fisionomias que vão sendo compreendidas…

Sensações que passam pelo contato, pelo momento…

Há muitos componentes que estão em jogo nessa cena.

Desde pequenas, as crianças precisam – além do leite materno – de alimentos para compor seu repertório cultural. E, nesse sentido, a fala alimenta a aprendizagem da língua.

A musicalidade das palavras, neste vídeo no contexto de uma relação afetiva, também pode ser apresentada em forma de cantigas de ninar, de brincadeiras sonoras, como parlendas ou travalínguas, ou ainda da leitura de histórias, boas formas de possibilitar o contato com o universo linguístico de maneira significativa para os pequenos.

Se você tem um vídeo que mostra cenas como essas, mande para nós!

Assim, poderemos compor uma galeria com exemplos que podem inspirar outros pais e adultos que convivem com as crianças.

Outros posts que podem interessar:

Conversar com as crianças desde que nascem pode fazer muita diferença!

Bebês nascem com 5 vezes mais neurônios do que terão quando adultos

Pai só tem um!

Compartilhe!

Participe da conversa!